[RESENHA] A História de Malikah

Oi, Pessoal, tudo bem?

Quem me acompanha aqui sabe que a minha primeira resenha postada foi do livro “O Amor nos Tempos do Ouro”, da escritora nacional Marina Carvalho. O livro é, na verdade, um verdadeiro mergulho na própria história do Brasil, que foi brilhantemente mostrada por essa escritora tão querida. Agora, em “A História de Malikah”, vamos conhecer um pouquinho mais da história de dois personagens secundários que chamaram a nossa atenção no primeiro livro.

Antes de tudo, gostaria de dizer que a edição do livro está incrível e que a Editora GloboAlt, mais uma vez, se superou na diagramação e na arte da obra. É nítido o capricho e a atenção que foram destinadas para o livro e isso torna a obra ainda mais grandiosa e gostosa de ler.

Em “A História de Malikah” vamos conhecer as profundezas e os segredos da alma, do passado e do coração de Malikah, uma personagem extremamente forte, determinada e empoderada que conquistou o meu coração no livro anterior. Malikah, assim como os demais africanos escravizados no Brasil, foram retirados da sua terra à força e trazidos para o trabalho braçal, forçado e desumano em várias áreas do Brasil, principalmente no período do ouro.

Nessa obra, somos presenteados com dois olhares diferentes sob Malikah: em determinados capítulos, vamos acompanhar a menina ainda ingênua e jovem que ela foi um dia, enquanto que os outros já nos trazem a Malikah Mulher, Mãe e Adulta que nós já conhecíamos de vista.

Malikah cresceu dentro da Fazenda Real, que é administrada pelo horrendo e inescrupuloso Euclides de Andrade e, desde cedo, sentiu na pele as consequências do pior que o ser humano pode oferecer. Sou mãe morreu diante dos seus olhos, os seus sonhos foram esfacelados ainda no navio negreiro e quanto mais ela cresce, mais ela tem que lidar com o olhar de cobiça dos outros homens. Então, a figura de Henrique surge para Malikah (e pra gente também) como uma espécie de esperança. Como uma luz.
“A Esperança é o pilar do mundo.”
Ainda que seja filho de Euclides, Henrique carrega dentro de si a bondade e a luz herdadas de sua mãe. Ele tem um coração puro e, por mais que o mundo exija dele uma posição cruel, ele sabe ser leveza e serenidade, ele sabe aceitar e, acima de tudo, ele sabe respeitar Malikah. A verdade é que conhecer o menino que Henrique foi um dia se apresentou como uma grande ideia de Marina, pois nos aproximou ainda mais de quem os personagens verdadeiramente são e da bela e difícil história de amor que nasce entre eles.

Do outro lado da história, vamos nos deparar com um Henrique que tenta se redimir de todos os seus erros, que busca mostrar o quanto mudou e como o seu coração está caminhando para reencontrar o menino que ele foi um dia. Mas a Malikah de agora não é tão mais flexível, ela já tem um coração calejado e mais uma pessoa para proteger: Hasan, o fruto proibido do seu amor e da sua relação com Henrique. E, para completar, não só eles dois, mas também todos os moradores da Quinta Dona Regina terão que lutar contra a fúria e a vingança silenciosa de Euclides da Cunha.

Já deixei bem claro que admiro muito Malikah e esse livro só vem para ressaltar ainda mais a coragem dessa mulher, que defende com unhas e dentes aqueles que ela ama. Contudo, a nossa protagonista também tem um lado bastante impulsivo, pois ela não sabe lidar direito com os sentimentos que Henrique desperta nela. Ela tem medo e é justamente esse sentimento que aflora a sua vulnerabilidade, o que a torna ainda mais humana.

Em “O Amor nos Tempos do Ouro”, nós conhecemos um Henrique vazio e quase sem escrúpulos. E foi justamente por causa dessa imagem que eu me surpreendi tanto, ao ler esse novo livro. Eu consegui enxergar como Henrique estava tentando se redimir, como estava tentando ser melhor do que ele jamais foi. A química entre eles é palpável e é impossível não torcer para esses dois ficarem juntos, pois o amor entre eles é como se fosse esperança nos dias de incerteza, de um período tão controverso da história do Brasil.
“Algo se quebrara ali, rompendo a amizade que um dia os mantivera unidos como irmãos. Será que o destino preparava algo maior entre eles?”
Além disso, precisamos ressaltar que Marina conseguiu mesclar muito bem as cenas de pureza e de sensualidade do nosso casal protagonista. Os personagens secundários também são fundamentais, pois eles trazem o seu carisma clássico e a sua fortaleza para a construção dessa trama.

A História de Malikah” é uma obra não só sobre o amor entre duas pessoas, mas sobre o poder que esse sentimento tem para nos libertar e para nos oferecer a esperança de dias melhores. Malikah e Henrique nos ensinam que amar é, acima de tudo, perdoar e entender que, por mais tortuosa que possa ser a caminhada, ser for para o nosso bem tudo o que nós precisamos e acreditamos irá se concretizar.


Classificação: 5 estrelas (Favorito)

0 comentários:

Deixe seu comentário