[RESENHA] Tentação ao Pôr do Sol

Oi, Pessoal, tudo bem?

A resenha de hoje dará continuidade às resenhas quem envolvem os livros da série Os Hathaways, da escritora Lisa Kleypas. Dessa forma, temos aqui um romance de época com mais um dos integrantes da incomum família Hathaway. Vamos falar de Tentação ao Pôr do Sol.

No terceiro livro da série Os Hathaways, vamos nos deparar com a história de Poppy Hathaway, que está em Londres, hospedada no Hotel Rutledge, para a sua terceira temporada. Contudo, ao que tudo indica, esse será mais um ano em que Poppy voltará para Hampshire sem um marido, ainda que esteja trocando correspondências com jovem admirador secreto.

Poppy é uma moça educada, bonita e extremamente gentil, mas também é dona de uma inteligência palpável e de uma família incomum para os padrões londrinos, o que a deixa em posição desfavorável em relação às demais damas. Contudo, tudo muda quando o seu caminho cruza com Harry Rutledge, que vai ser tomado por um fascínio e desejo ao conhecer Poppy.

Contudo, todo esse desejo e essa admiração mútua não serão suficientes para que esse casal encontre um caminho harmonioso e fácil pela frente. Antes disso, será preciso anular as diferenças que criam um abismo entre eles.

Poppy Hathaway é, assim como todas as irmãs Hathaway, inteligente, sagaz e franca, o que faz com que os homens se sintam acuados com a sua presença. Contudo, ao longo das páginas, percebemos que ela é a irmã que tenta se esquivar, mais intensamente, da imagem excêntrica que a Família Hathaway proporciona àqueles que pertencem a ela.

De longe, Poppy é a irmã que menos me sentia próxima, mas ela cumpre o seu papel muito bem, ao longo da trama, ao tornar os leitores mais próximos de quem ela é e do que ele busca conseguir. Ao longo das páginas, Poppy vai se mostrando uma dama que une, de forma sutil, uma boa dose de sensibilidade com uma parcela de determinação e sagacidade.
“Não era incapaz de amar... de jeito nenhum. Só precisava aprender como.”
Ela sabe se impor e com a sua força consegue tornar possível aquilo que parecia inalcançável. Ela sabe driblar os obstáculos que se encontram no caminho para a sua felicidade e sabe, ao mesmo tempo, ceder nos momentos. Certos. Apesar disso, sua personalidade, em alguns momentos da trama, me deixou bastante chateada, pois a sua determinação, às vezes, cede espaço para uma indecisão desenfreada.

Harry Rutledge é, sem dúvida nenhuma, um homem que não mede esforços para conseguir o que quer, o que pode ser comprovado logo no começo do livro e na forma como ele consegue persuadir Poppy a se casar. Harry é definitivamente um homem trabalhador, que se empenha em construir o seu império diariamente, além de ser um homem de muitas facetas.
“Lamento não ser o marido que você queria, mas juro pela minha vida: se me disser o que quer, de que precisa, eu vou ouvir. Farei tudo o que me pedir. Só não me deixe outra vez.”
Ao longo da trama, vamos conhecendo mais sobre o passado de Harry e sobre os próprios obstáculos que ele já teve que enfrentar, principalmente no plano pessoal. O homem é uma máquina de persuasão. E, infelizmente, ele não foi um protagonista que me convenceu tanto. A forma como ele age para conseguir aquilo que quer me fez perder um pouco da simpatia e da confiança que eu sentia por ele, ainda que vejamos o seu crescimento durante o livro.

A forma como eles dois constroem o seu relacionamento é cheia de obstáculos, pois, quando eles se casaram, eles não se conheciam verdadeiramente. Havia apenas fascínio e desejo. Além disso, o relacionamento conjugal já começa com uma traição, o que já nos deixa com um pé atrás em relação ao nosso protagonista.
“Não existe um limite de tempo para o perdão, existe?”
Um dos melhores pontos do livro é referente ao crescimento deles como casal. É possível ver o amor e o afeito verdadeiro nascendo entre eles. Poppy é fundamental para que Harry possa, de fato, mostrar quem ele é, sem toda a sua armadura polida e fria. Poppy é fundamental para que Harry reconheça que nem tudo é um negócio e que devemos tomar nosso rumo com cuidado, pois no fim do dia estamos sozinhos para enfrentar as consequências das nossas escolhas.


Tentação ao Pôr do Sol é o terceiro livro da série Os Hathaways e vai nos ensinar que o amor pode florescer mesmo no terreno, aparentemente, mais infértil. Tudo o que precisamos fazer é regar esse campo surpreendente com dedicação e perseverança, pois o amor é um florescimento recompensador. 

Classificação: 3 estrelas 

0 comentários:

Deixe seu comentário