[Resenha] O Amor nos Tempos do Ouro


Oi, Pessoal, tudo bem?

Esta é a minha primeira postagem aqui no Blog e escolhi falar de um livro que se encaixa na categoria dos Romances Históricos, que é uma das minhas favoritas.
Pela primeira vez na categoria dos romances históricos, Marina Carvalho, autora de outros cinco romances contemporâneos, nos apresenta a história de Cécile Lavigne e Fernão, estando a trama inserida no Brasil Colonial, momento este em que o Brasil vive o seu período de exploração aurífera. 


Cécile Lavigne é uma franco-portuguesa e uma típica senhorita da sociedade francesa da época do século XVIII: frequentadora dos bailes franceses, cortejada por inúmeros jovens galanteadores e dotada da leveza, elegância e do porte aristocrático dignos das damas da sociedade. Diferentemente do que acontecia em muitos casamentos da época, os pais de Cécile tiveram uma união fundamentada no amor, o que acabou influenciando positivamente na criação livre e amorosa da jovem protagonista e dos seus dois irmãos.
Contudo, o mundo de Cécile começa a ruir quando os seus pais e os seus irmãos acabam morrendo em um naufrágio. Sozinha em meio a tanto sofrimento, a jovem moça se vê diante de um impasse exasperante: é preciso vir ao Brasil, pois o seu parente mais próximo vivo é o ardiloso Tio Euzébio, que prometeu a jovem a um rico fazendeiro da região das Minas Gerais.

“São diversos os desígnios divinos, minha filha. E eles quase nunca são permeados de flores. Serena teu coração. Nossa trajetória é imperfeita, inferiores que somos.”-Página 16

Após dois meses de viagem, Cécile chega ao Brasil carregada de saudade da sua carinhosa família para enfrentar o futuro tão abominável a ela destinado: o casamento com um dos homens mais poderosos das Minas Gerais. Após a rápida estadia na casa de seu engenhoso Tio Euzébio, Cécile passa aos cuidados de Fernão, que a levará do Rio de Janeiro ao seu temível destino, durante duas semanas. 
Fernão se apresenta como um explorador enigmático, que segue os seus próprios princípios, que realiza certas atividades  um tanto duvidosas para os poderosos da região, e que é capaz de gerar tanto o interesse como o repúdio da jovem moça Cécile.
Ao longo da viagem, que conta com inúmeros obstáculos naturais, Cécile e Fernão se mostrarão confusos com os sentimentos que passam a crescer entre eles, de maneira secreta, visto que passarão a se conhecer mais e a entrar constantemente em atrito.



O livro é narrado em terceira pessoa e, em cada novo capítulo, podemos encontrar trechos de grandes escritores e poetas que retrataram poeticamente o que se viveu no Brasil Colonial. Isso faz com que o livro ganhe ainda mais leveza e, de certa forma, ajuda o leitor a decifrar o que ele encontrará no decorrer do capítulo. Além dos capítulos alternados entre as visões e pensamentos de Cécile e Fernão, vamos encontrar páginas do diário secreto da jovem franco-portuguesa e cartas secretas do explorador.
Cécile Lavigne se apresenta como uma protagonista feminina muito forte, dotada de ideais que estão, de fato, a frente do seu tempo. Uma personagem que consegue unir a doçura e a sensibilidade de uma jovem dama com a força e a coragem de uma mulher capaz de resistir e de se recriar diante dos obstáculos impostos a ela pelo destino.
Enquanto isso, Fernão se apresenta como um homem já endurecido pelo seu trabalho, pelas mazelas da época e por ter sempre os seus princípios batendo de frente com os trabalhos que são a ele designados pelos poderosos da região. Contudo, podemos ver nele também a capacidade amar e de lutar por aqueles que ele quer e pretende proteger.
Além de nos presentear com dois grandes protagonistas, Marina Carvalho nos apresenta personagens secundários bem desenvolvidos e que rapidamente cativam o leitor e que deixam todo mundo com muita curiosidade a respeito das suas próprias histórias.

O romance que nasce entre Cécile e Fernão, assim como ocorre nos Romances Históricos, é forte, intenso e, acima de tudo, verdadeiro. Um amor capaz de fazer duas pessoas amarguradas retornarem à vida e capaz de dar a serenidade necessária a duas almas tão necessitadas de paz e carinho.

“Quando os nossos inimigos interiores são combatidos, os inimigos de fora nada podem fazer contra ti.”-Página 187

A trama mostra não só uma história de amor entre dois grandes personagens, mas também reflete a realidade de um Brasil Colonial pautado no trabalho escravo e nas desigualdades sociais. Um Brasil em que o negro era subjugado, colocado à margem da nossa sociedade e castigado arbitrariamente pelos brancos e poderosos. Além disso, a trama nos transporta para um ambiente de grande miscigenação e de grande variedade linguística, que correspondem às entranhas da nossa História.
Bom, como eu já conhecia a Marina Carvalho de outros “carnavais literários”, posso dizer que ela me surpreendeu bastante. Eu já era completamente apaixonada pelos seus livros, mas a grandiosidade do enredo e de todos os detalhes, pensados com tanto cuidado e com tanto respeito à História do Brasil, demonstram como ela se dedicou ao desenvolvimento desse livro e como ela conseguiu crescer na sua escrita e no desenvolvimento dos personagens.

Para mim, “O amor nos tempos do ouro” é um dos melhores romances históricos nacionais e que todos deveriam ler, não só por ter um romance maravilhoso, mas por nos apresentar de forma direta e envolvente um pouco da história do nosso país. 

Classificação: 5 estrelas {Favoritado}


0 comentários:

Deixe seu comentário