[RESENHA] BELEZA PERDIDA


Oi, Gente!!!

Para minha primeira resenha no Blog, escolhi um livro pelo qual me apaixonei e que mexeu muito comigo. Espero que gostem tanto quanto eu.

Beleza Perdida, da autora americana Amy Harmon, é um livro que fala sobre amor e perdas, mas principalmente de superação. 


Ambrose Young é lindo, muito lindo mesmo, e toda a cidade sabe disso, ele poderia sem sombra de dúvida ser um galã de romances, novelas ou de cinema, e mais do que isso, era o queridinho da cidade por suas habilidades na arena de luta. Após os acontecimentos do 11 de setembro, Ambrose decide lutar por justiça para as pessoas que perderam suas vidas naquele fatídico dia, ele decide então se alistar no exercito e convence seus quatro melhores amigos a irem com ele. Porém, depois de uma patrulha de rotina mal sucedida, Ambrose tem de voltar para casa. Sozinho. E as feridas que ele trás consigo vão muito além das físicas.


Fern Taylor é a filha única do idoso pastor da cidade e durante todo o colegial era considerada invisível. Ela se sentia invisível. E estava apaixonada por Ambrose Young, sempre esteve apaixonada por ele. Mas sabia que ele nunca olharia para ela, pelo menos ela achava que não...




Beleza Perdida é aquele tipo de livro que te faz pensar no que eu faria se aquilo acontecesse comigo, se eu perdesse algo que antes era dado como certo, se eu passasse a me olhar no espelho e não me reconhecer mais, se eu estivesse tomada pela culpa. Quando Ambrose volta do Iraque, ele se sente perdido. Havia perdido muito mais do que os melhores amigos na guerra, ele perdeu a si mesmo. A culpa que sentia por ter convencido seus amigos a ir com ele para a guerra o consumia e era mais profunda do que as cicatrizes que trazia no corpo. Ele até achava que as merecia. E se isolou por isso.

“Ambrose sabia como era ser saudável, ser perfeito, ser Hércules. Como era cruel cair subitamente de tal altura. A vida tinha dado outro rosto a Ambrose, e Fern se perguntava se ele seria capaz de aceitá-lo.” – pág. 127

Fern queria se aproximar, queria falar com ele, mas não sabia como, não sabia o que falar e não sabia como ele reagiria. Então ela tentou se aproximar de outra maneira. Queria fazê-lo sorrir de novo. Queria ajudá-lo se reerguer.




Fiquei completamente presa a esse livro, e gostei bastante da construção de cada personagem. Bailey, um dos personagens secundários, é um verdadeiro achado literário, (quem não quer ser amigo de alguém como o Bailey?) e sua interação com Fern e com Ambrose é cativante. Os diálogos entre Ambrose e Fern foram muito bem construídos e suas emoções passadas com muita profudidade.

Um livro super lindo que é muito mais do que uma típica história de amor, mas sim uma história que fala sobre como é possível viver de novo quando parece impossível, como se reerguer mesmo sem forças, como amar mesmo estando destroçado por dentro e como esse amor é capaz de reconstruir o imaginável. 


"...ele poderia tirar os amigos do coração, mas, ao expurgar a memória, tomaria de si mesmo a alegria de tê-los amado, de tê-los conhecido, de ter aprendido com eles. Se não entendesse a dor não apreciaria a esperança que começava a sentir novamente, a felicidade a que ele se agarrava com as duas mãos para que ela não escapasse." - pág. 283

 Classificação: 5 estrelas (favorito)

0 comentários:

Deixe seu comentário