[RESENHA] Mulheres Incríveis

Oi, Pessoal, tudo bem?

A resenha de hoje é muito especial, pois estou trazendo um livro que traduz muito bem o empoderamento feminino e a grandiosidade de ser mulher. O livro da vez se chama “Mulheres Incríveis” e foi lançado, recentemente, pela Editora Astral Cultural. Não conhecia esse livro e quase enlouqueci quando o encontrei na Livraria Nobel, em Cotia, São Paulo. Vamos lá começar!

“Mulheres Incríveis” vai nos apresentar a história de 44 mulheres que foram extraordinárias à sua maneira, que fizeram ou que continuam fazendo a diferença na sua área de atuação. Encontramos aqui a história de mulheres de todos os continentes, que lutaram pelo lugar da mulher na sociedade, pelo fim da desigualdade de gênero e por um futuro digno para todos nós.

O livro não apresenta apenas a história de mulheres reconhecidas mundialmente. Fazemos aqui um verdadeiro passeio pela história da humanidade e nos deparamos com personalidades femininas, muitas vezes, desconhecidas aos nossos olhos, mas que foram e continuam sendo fundamentais para a construção de um mundo mais justo.

Viajamos aqui pela Mesopotâmia, pela Ásia, pelo Brasil e por muitos outros países ou continentes e, ao longo das páginas, vamos nos deparando com a história de mulheres ousadas, corajosas e que transformaram o mundo com a sua luta, com a sua causa. São histórias inspiradoras porque são reais e porque nos mostram a dimensão do que somos capazes de fazer, do que somos capazes de mudar, no mundo. E o mais legal é que não encontramos mulheres de apenas uma faixa etária. Temos aqui mulheres de todas as idades.

Além disso, a obra apresenta outro ponto muitíssimo interessante: não encontramos um louvor apenas a mulheres pertencentes aos continentes existentes, mas também àquelas que foram expatriadas, que perderam à força o seu lugar, a sua pátria. E esse é apenas um dos fatos que mostra a preocupação das autoras em incluir todas as mulheres nesse importante espaço literário.
“Não digam que mulheres não podem ser heroínas.”
As ilustrações do livro também estão impecáveis e permitem um maior dinamismo na leitura, visto que trazem cor, vida e simbolismos para a luta dessas mulheres. Sem falar que cada capítulo apresenta frases inspiradoras e relevantes para a formação daquela Mulher Incrível e para a nossa também.

É verdade que cada uma apresenta o seu grau de importância e a sua força sem igual, mas fiquei muito feliz ao encontrar duas mulheres que admiro muito no livro: Malala e Maria da Penha. Ao lermos a história de ambas, que são tão diferentes em idade e que lutam em áreas diferentes, é impossível não se arrepiar e se emocionar com tudo pelo que elas já passaram e com a força que elas tiram de si para defender outras meninas e mulheres que estão na mesma situação.

“Mulheres Incríveis” é aquele livro para se ter na cabeceira da cama, pois nos faz refletir, se emocionar, aprender e, acima, de tudo, lutar pelo nosso espaço no mundo, pelos nossos ideais e por uma sociedade mais justa e que valorize, cada vez mais, os grandes feitos realizados por mulheres.


Classificação: 5 estrelas 

[RESENHA] Casada até Quarta

Oi, Pessoal, tudo bem?

Fazia um tempinho que eu não postava nada aqui no Blog, principalmente por conta da volta às aulas, na minha faculdade. Contudo, venho hoje falar do primeiro livro de uma série que todo mundo está comentando. Recentemente, a Verus lançou a série Noivas da Semana, que possui sete livros e capas incríveis e atrativas. Estava curiosa para começar a ler essa série e aqui estou para falar o que achei de “Casada até Quarta”, da Catherine Bybee.

Em “Casada até Quarta”, vamos conhecer a história de Blake Harrison e Samantha Elliot, que acabam se cruzando quando o nosso protagonista está envolvido na missão de encontrar uma esposa até quarta-feira. Samantha é dona de uma agência de casamentos e vai ajudá-lo nessa missão, mas acaba se envolvendo demais e se tornando a esposa em questão. Contudo, o que era para ser um casamento apenas de conveniência, durante um ano, acaba se tornando uma verdadeira confusão para o coração de ambos, afinal, a atração entre eles é mútua e parece haver ali muito mais do que um mero contrato.

Primeiramente, preciso dizer que não tinha uma expectativa muito alta para esse livro, pois já havia lido outras resenhas e outros comentários e percebido que esta seria uma trama leve, que nos proporcionaria um descanso merecido, após um longo período de ressaca literária. De fato, o livro vai cumprir esse papel. Ele possui uma trama bem desenvolvida, fluida e objetiva. Não há muito aprofundamento nos problemas do passado dos protagonistas ou grandes reflexões, mas ele possui a sua carga emocional, sim.

Para mim, foi uma leitura muito rápida e prazerosa, que me permitiu sentir a felicidade novamente em ler um romance e de saber que tudo ficaria bem no final. Finais felizes têm esse efeito em mim, pois amo um bom clichê nas tramas que trazem um casamento de conveniência no começo e uma união por amor, no final do livro. Além disso, a escritora soube muito bem empregar o lado sensual da relação e dos personagens em si.

Blake Harrison foi um personagem que me conquistou, pois eu amo muito personagens que se mostram donos da situação e que possuem um quê de charme e poder. Dono de uma sagacidade impressionante nos negócios, Blake também consegue nos surpreender com o seu lado mais carinhoso e doce. A forma como a escritora conseguiu balancear tais pontos na sua personalidade me conquistou e me fez torcer para que ele conseguisse encontrar a sua felicidade ao lado de Samantha. Além disso, o seu lado sensual e charmoso não parece algo forçado. É como se você não conseguisse realmente imaginar tal personagem sem essas características.

A Samantha ainda é uma incógnita nessa leitura para mim. Não me entendam mal, mas acho que faltou algo nela, algo que esperei durante todo o livro. No começo, ela se mostra dona da situação, independente e muito segura de si. Mas, ao longo das páginas, ela foi perdendo (pelo menos, para mim) o lado poderoso de mulher de negócios. Queria que a autora tivesse mostrado mais esse seu lado, que foi tão importante para que ela se reconstruísse, após os problemas do passado com o seu pai.
“Isso pode estar meio fora de lugar, mas... quer se casar comigo? Não por causa de um contrato, testamente ou dinheiro, mas porque você me ama e quer ser minha esposa agora e para sempre?”
A verdade é que eu amei a química que nasceu entre os dois protagonistas. É uma relação verdadeira que nasce entre eles, por mais mentiras que os tenha levado até ali. A forma como eles vão aprendendo a lidar um com o outro e a maneira como eles se respeitam me conquistaram. Apesar disso, achei que alguns pontos do passado de ambos mereciam mais explicações e detalhes, pois se torna algo distante e, até mesmo, vazio.

Mesmo que o livro não ofereça grandes reflexões para o leitor, é possível fazer alguns questionamentos a respeito da forma como a Sam é vista, por aceitar uma oferta tão gorda e duvidosa feita por Blake. É possível ver como tal situação parece ser imprópria para Samantha, mas muito aceitável para Blake, afinal, ele é um homem de negócios e não pode perder tal herança. Precisamos parar de tanto machismo para um lado apenas da relação.

De maneira geral, o livro me fez muito bem, pois precisava de algo leve para ler e que me fizesse, ao mesmo tempo, mergulhar na história. Estou muito animada para os outros livros da série, principalmente o segundo livro.

Casada até Quarta” é um livro de leitura rápida, fluida, que não promete muitas reflexões, mas que te faz se envolver num clichê apaixonante e charmoso e torcer por um final feliz. Afinal, quem não gosta que o amor vença no fim?


Classificação: 4 estrelas

[RESENHA] Na Minha Onda

Oi, Pessoal, tudo bem?

Quem me conhece sabe que a Laura Conrado é uma das escritoras nacionais favoritas da minha estante. Com livros fluidos e rápidos, mas que conseguem colocar em debate temas importantes para o crescimento pessoal da personagem e dos leitores, a Laura Conrado sempre me deixa animada com os seus livros novos. E, dessa vez, não foi diferente.

Desde que foi anunciado que “Na Minha Onda” seria o seu novo livro, já estava preparada para me envolver pela história, que, dessa vez, teria uma ligação muito forte com a música. Então, assim que foi lançado o livro, corri para a livraria para comprá-lo.

Na Minha Onda” vai contar a história de Vitória Prata, que é uma cantora muito talentosa e que estourou nas paradas de sucesso há cinco anos, mas que agora tem que lidar com o início do esquecimento pelo show business, com inúmeras dívidas para pagar, com o sucesso imenso da sua ex-parceira musical e com o seu retorno para a casa dos seus pais, na amada Bahia.

Só que Carol Laine, sua ex-parceira musical, vai atrás de Vitória e faz um convite inusitado: ela quer as duas trabalhando juntas novamente e participando de um reality sobre a vida de Carol. Acontece que, ao aceitar tal convite, Vitória voltará a ficar próxima do seu amor de adolescência, o primo de Carol, terá que enfrentar a fama de Carol, os perigos que a cercam, e se verá mergulhada em um mundo em que o ego é uma das atrações principais desse show.

Primeiramente, precisamos ressaltar que a capa e todo o projeto gráfico do livro estão incríveis. Cada capítulo possui uma ilustração diferente, que torna a edição ainda mais charmosa e mais diferente de tudo que Laura já lançou. Além disso, as cores vibrantes da capa, em perfeita harmonia, trazem à tona o calor, a diversidade e a energia que contagia da Bahia.

Vitória Prata, assim como as demais personagens já criadas por Laura Conrado, encontra-se mergulhada numa crise existencial. Ela está no meio de um furacão de emoções, pois ela acredita no poder da sua música e do seu talento, mas, ao mesmo tempo, é cheia de inseguranças sobre o seu corpo, sobre quem ela poderá se tornar e sobre o que será da vida dela, agora que as contas estão chegando e o mundo musical a está colocando à margem desse meio artístico.
“Perdemos muito tempo tentando impressionar o outro, enquanto se abrir para receber o amor é que é difícil.”
Uma das melhores coisas a respeito de Vitória é que ela é gente como a gente. Ela tem dúvidas, inseguranças, está aprendendo a lidar com as derrotas diárias e está tentando encontrar o seu lugar no mundo, pois uma coisa ela sabe: ela tem talento e potencial.

A Vitória tinha tudo para ser uma personagem incrível, pois ela é arretada como os baianos, cheia de energia e saber ir atrás do que quer. Acontece que ela, ao longo do livro, mostrou-se, acima de tudo, invejosa. Eu não consegui sentir a verdade na personagem, que não consegue aceitar bem as conquistas daqueles que a cercam e não consegue entender que o sucesso também tem um preço alto e que nem tudo são flores. Então, vamos acompanhando esse processo de autodescoberta e crescimento interno de Vitória.
“Quando nos amamos é que descobrimos o sentido das nossas vidas. E se permitir ser amada é uma grande prova de amor que damos a nós mesmas.”
A autora, com toda certeza, acertou em cheio ao trazer esse universo enérgico e conturbado do mundo musical/show business para o enredo, pois não mascarou de forma alguma as adversidades, o mundo de aparências e a rotina agitadíssima daqueles que integram esse universo. Ao longo da trama, foi possível perceber como Laura Conrado se dedicou para escrever esse livro, mergulhando em cada peça desse quebra-cabeça.

À medida que vamos adentrando na trama, vamos achando que Carol Laine é a falsa e a superficial da história, pelo que Vitória vai nos mostrando no seu caderninho azul, mas a verdade é que adorei Carol e me senti comovida por todos os conflitos que envolvem a sua vida e por tudo que ela está tendo que enfrentar. Carol nos ensina como o mundo da fama pode machucar também.

“Eu não quero fazer jogos para te conquistar, preciso me apaixonar por mim. Quero saber tudo a meu respeito, sobre os meus sonhos, o que quero para a minha vida e o que vai me fazer feliz. Não posso delegar para ninguém essa função.”
O livro tem romance, mas ele não é, de forma alguma, o foco da história. Lucas, o par romântico da nossa protagonista, é charmoso, sempre presente e muito profissional, mas não é aquele crush literário marcante e envolvente. O romance confere espaço para o suspense, que está presente em quase todos os capítulos e que acaba engolindo as personagens principais para as profundezas de um oceano misterioso (literalmente!). Se você prestar bem atenção, poderá decifrar esse mistério e perceber como as aparências podem realmente nos enganar. Juntei as peças desde o início e descobri que era o vilão (ou seriam vilões?).

Gostei muito da forma como as reflexões sobre amor próprio, sobre determinação, aceitação, amizade e, acima de tudo, honestidade com quem nós somos e com o que estamos sentindo foram trabalhadas no livro, mas acho que o processo de autodescoberta de Vitória aconteceu de forma muito rápida em seu íntimo. Acho que ocorreu de forma muito intempestiva.

Apesar de o livro ter suspense, “Na Minha Onda” também é uma ótima opção para rir e se divertir, afinal, o jeito arretado da Bahia está presente em todas as suas páginas e as trapalhadas de Vitória também conferem leveza ao enredo e nos garantem boas gargalhadas, além de várias referências atuais que são sutilmente introduzidas.

O livro conta ainda com uma playlist no Spotify e com uma música que foi feita especialmente para a trama, que se chama Filme de Amor, e que tem uma letra e um ritmo bem envolventes. Você vai amar!

Na Minha Onda” é o novo livro de Laura Conrado e nos ensina que todos nós fazemos parte de um processo de autodescobrimento. Para enfrentar o mundo lá fora e lutar por aquilo que acreditamos, precisamos, antes de tudo, amar quem nós somos. Precisamos ter resiliência para enfrentar as adversidades e nunca mascarar nossos sentimentos, pois podemos acabar sendo engolidos pelas aparências.


Classificação: 3.5 estrelas 

TOP 5: Amizade Literária

Oi, Pessoal, tudo bem?

Em homenagem ao Dia do Amigo, que se comemora no dia 20 de Julho, no Brasil, resolvi escolher algumas amizades que cativaram e aqueceram o meu coração, durante algumas das minhas leituras. Um bom livro é aquele que consegue nos oferecer um misto de emoções e sentimentos e, para mim, é aquele que consegue ensinar algo sobre amizade verdadeira e parceria. Com isso, vem ver quais são os meus amigos literários favoritos:

1. Elizabeth Bennet e Jane Bennet, de Orgulho e Preconceito


Elizabeth e Jane Bennet podem até ser grandes irmãs, no enredo de Orgulho e Preconceito, mas o que as torna assim tão próximas é o fato delas terem uma amizade verdadeira acima do laço sanguíneo. Inseridas em um período tão restritivo para a mulher, Elizabeth e Jane sempre buscam a felicidade genuína uma da outra e conseguem enxergar o que elas estão realmente sentindo, por mais que busquem mascarar os seus sentimentos para o restante do mundo.

2. Harry, Rony e Hermione, de Harry Potter


Talvez a amizade do trio de ouro seja uma das mais admiradas e mais emocionantes, no meio literário e cinematográfico. E isso é decorrente do fato de Harry, Rony e Hermione nos ensinarem o valor do companheirismo, de conseguir ajudar o outro nos seus momentos de vulnerabilidade, de dizer a verdade por mais que doa e por ser fonte de luz mesmo nos momentos de escuridão e de incertezas.

3. Alicia e Mari, de Procura-se um Marido


Quando falamos nos livros da Carina Rissi, muito provavelmente você vai lembrar da amizade inspiradora que existe entre a Sofia e a Nina. Adoro as duas, sem dúvida, mas a minha amizade favorita é a que existe entre a Alicia e a Mari. As duas possuem as suas diferenças evidentes, mas elas conseguem se amar e admirar exatamente pelo que são. A Mari sempre está ali para ouvir as loucuras cometidas pela Alicia, para oferecer um ombro amigo nos momentos de fraqueza e para dizer quando Alicia está errada e errando nos seus julgamentos.

4. Clara e Bernardo, de O Descompasso Infinito do Coração

O Descompasso Infinito do Coração é o meu livro favorito da escritora nacional Bianca Briones e, por mais que Clara e Bernardo formem um par romântico, eles conseguem nos ensinar o verdadeiro valor de um ombro amigo. Bernardo nos ensina que ser amigo é amar o outro e tentar compreender as suas cicatrizes, a sua insegurança e os seus medos. É saber que por mais que o seu amigo esteja num momento de fraqueza, você precisa mostrar a ele o quão grandioso ele é.


5. Fern e Bailey, de Beleza Perdida

Essa é, de fato, uma amizade emocionante e que faz com sejamos gratos pelos amigos que temos ao nosso lado. Fern e Bailey nos ensinam que ser amigo é cuidar e tentar proteger sempre aquele que está ao nosso lado. É tentar impedir que o outro se machuque ou que a vida seja muito dura com ele. É nos ensinar que a amizade é o presente mais bonito e sincero que podemos ganhar, quando o mundo a nossa volta começa a ruir e quando tudo parece incerto. Ser amigo é se doar para o outro e perceber que devemos valorizar os momentos que compartilhamos juntos. 

“A amizade verdadeira sobrevive a tudo, Elisa. A distância não é capaz de destruir o amor. Acredite em mim.”

Feliz Dia do Amigo ! 💛

[EMBARQUE COMIGO] Portugal

Oi, Pessoal, tudo bem?

O Embarque Comigo de hoje será muito especial, pois essa foi, de longe, a distância mais longa que eu já percorri e o local ganhou um espaço enorme no meu coração. Assim, a nossa viagem hoje será para Portugal, a terra dos nossos colonizadores e o país que é recheado de muita história, de belos castelos e de muitas cidades cheias de charme e de muita beleza.

Normalmente, no “Embarque Comigo”, escolho apenas cinco pontos turísticos para trazer para vocês, mas, dessa vez, temos muita bagagem para mostrar e muitas cidades maravilhosas para apresentar. Então, vamos apresentar os pontos turísticos mais especiais de cada cidade por onde passei.

1°Parada: Lisboa
Em Lisboa, temos cinco paradas obrigatórias, que oferecem uma bela visão da cidade e que possuem uma conotação histórica importante para a construção de Portugal. Temos então a Torre de Belém, o Padrão dos Descobrimentos, o Mosteiro dos Jerónimos, o Castelo de São Jorge e o Oceanário.


Em Lisboa, você pode contar com uma equipe preparada para mostrar como essa cidade é incrível e cheia de locais históricos importantes para a formação do país. E o melhor disso é que a equipe conta com uma brasileira e nordestina, que transmite o acolhimento do Brasil para nós, que estamos visitando Portugal, a Dona Fátima. 

O Padrão dos Descobrimentos representa a expansão ultramarina portuguesa e um momento de grande desenvolvimento e de muitas descobertas para o povo português. Assim, nesse local, poderemos encontrar Vasco da Gama, o Infante Dom Henrique e Camões, por exemplo. Vale a pena subir o elevador, nos 56 metros, que nos separam de uma vista panorâmica da cidade e do Rio Tejo.

A Torre de Belém, que se apresentava como uma proteção militar, também é de tirar o fôlego com os seus detalhes, tanto na sua parte exterior como no seu interior, que é formado por alguns andares abertos à visitação e que oferecem também uma bela vista do Rio Tejo.


O Mosteiro dos Jerónimos é uma grande construção não apenas religiosa, mas que consegue representar muito bem os traços manuelinos. Temos aqui uma fachada de mais de trezentos metros e um interior bem trabalhado e cheio de tesouros. 

O Castelo de São Jorge é uma das atrações mais visitadas e que se encontra no topo de uma das colinas. Com um espaço amplo e cheio de torres, o Castelo exige disposição do visitante para percorrer toda a construção, mas oferece uma vista de tirar o fôlego da cidade, do Rio Tejo e do próprio momento histórico vivido por Portugal. Além disso, você poderá desfrutar de um café charmoso, no Castelo, além de um pôr-do-sol incrível.

Fugindo um pouco da parte histórica e mergulhando no universo da natureza e da sua diversidade, o Oceanário de Lisboa oferece diferentes espaços tropicais, gélidos e que demonstram, é claro, a diversidade do oceano. Aqui, você pode encontrar lontras, pinguins, tubarões, águas-vivas, entre outros.

2°Parada: Porto
Porto é uma cidade a 300 km de Lisboa e foi escolhida como a melhor cidade turística da Europa, após alguns anos de revitalização. Com muitos pontos turísticos próximos, a cidade de Porto permite que o visitante conheça a maioria dos lugares a pé, mas esteja preparado para subir e descer algumas ladeiras, que se assemelham às ladeiras de Ouro Preto (Minas Gerais).

Um dos passeios mais lindos que você poderá fazer é visitar o Cais da Ribeira, que é rodeado por ruas estreitas de paralelepípedo que nos levam a vários bares, restaurantes, e cafés de frente para o Rio Douro. Uma das melhores coisas que você pode fazer é atravessar a ponte e ter uma vista MARAVILHOSA de Porto a partir de Vila Nova de Gaia.

Quem ama ler não pode deixar de fora a visita à Livraria Lello, que serviu de inspiração à escritora J.K Roling para as escadas que formam Hogwarts. A livraria é cheia de detalhes e de um encanto muito grande, desde o momento que você entra no local. Contudo, esteja preparado para uma grande aglomeração de pessoas em busca da foto perfeita nas suas escadarias.

Uma parada obrigatória, em Porto, é o Palácio da Bolsa, que abriga a Associação Comercial do Porto. Cheia de salões bem trabalhados, como o Salão Árabe, o Palácio da Bolsa possui um interior rico e é um verdadeiro tesouro arquitetônico. Além disso, a visita guiada é excelente e nos oferece ricas explicações sobre o local.

É possível visitar também o Centro Português da Fotografia, que hoje abriga um rico acervo de fotógrafos de renome, era, antigamente, uma prisão. Para se ter uma visita guiada, é preciso marcar previamente, mas tal prédio nos propõe boas reflexões  e nos oferece belas exposições.

A cidade de Porto é repleta de muitas igrejas e de muitos pontos religiosos para se visitar a pé, mas a Torre dos Clérigos é parada obrigatória para todo turista. É possível visitar a igreja e, logo depois, subir a Torre e contemplar uma bela vista do alto e da cidade.

3°Parada: Braga
Já imaginou aquela cidade que tem as melhores coisas das grandes metrópoles e que consegue ainda cultivar a segurança, o charme e o encanto das “cidades de interior”? Braga é a cidade certa para se visitar e para ser escolhida como moradia. Braga, definitivamente, conquistou o meu coração.

A cidade conta com uma praça central, a Praça da República, onde podemos encontrar vários cafés (como o Café Vianna, que é simplesmente maravilhoso, afetuoso e delicioso), restaurante e lojas para a alegria do turista. Os pontos turísticos também são próximos, exceto a Igreja de Bom Jesus e a de Sameiro. Você não pode deixar de visitar os Jardins de Santa Bárbara e o Paço Arquiepiscopal, que nos proporciona um magnífico jardim numa parte medieval da cidade. As fotos ficam incríveis e vale a pena aproveitar os restaurantes próximos para descansar, caso o sol esteja muito forte.



A Sé de Braga é, definitivamente, uma parada obrigatória para todos os turistas. Também chamada de Santa Maria de Braga, a Sé foi construída onde existia um Templo Romano. É possível encontrar uma arquitetura barroca, mas que conserva os traços romanos. Além de visitar o claustro, é preciso visitar o museu no interior da Sé, que guarda a cruz da primeira missa realizada no Brasil. Vale a pena conferir.

Não pode ficar de fora o Largo de Santa Cruz, que conta com duas belas igrejas: a Igreja de Santa Cruz e a Igreja do Hospital de São Marcos, ambas datadas do século XVII. O mais legal é que você pode ir caminhando e fazendo muitas descobertas turísticas e históricas.

Você também precisa conhecer Bom Jesus do Monte, que fica no alto de uma das colinas, e subir as suas longas e belas escadarias. Você também pode ir de carro e descer de funicular, que é uma aventura muito legal de se fazer. A vista é simplesmente incrível e você, além de bater belas fotos, ainda pode desfrutar do restaurante do local, da gruta e de um excelente espaço para caminhada. No Santuário de Sameiro, também é possível visitar uma igreja de traços únicos e encontrar uma vista SUPIMPA e panorâmica da cidade.


Além de nos proporcionar momentos incríveis, viajar também nos oferece a oportunidade de reencontrar pessoas queridas da nossa vida. Então, nessa viagem também foi possível matar a saudade da minha amiga Janaína e conhecer a sua bela cidade de Braga, além de nos acompanhar em outras aventuras turísticas. Além disso, foi possível reencontrar também meus tios queridos, Tia Suely e Tio Alexandre, em Lisboa e compartilhar mais momentos incríveis ao lado dos meus pais e deles. 
 

Em Braga, também foi possível participar da Feira do Livro, que estava na sua primeira semana e que já estava a todo vapor. Com vários espaços literários, a Feira marcou presença na Praça da República e possibilitou que muitos turistas também participassem do evento. Foi muito bom encontrar tantos livros brasileiros nas prateleiras portuguesas e, é claro, fazer algumas amizades, como a Ana, que também ama livros e é um amor de pessoa.

IMPORTANTE SABER: Portugal é repleto de muitas cidades incríveis, sendo que cada uma delas possui muita beleza e muita história para contar. Também visitamos Guimarães, Fátima, Batalha, Coimbra, Óbidos, Cascais e Sintra. Contudo, vou destacar, para mim, as três melhores dessas anteriormente citadas: Fátima, Óbidos e Guimarães.

4°Parada: Fátima, Óbidos e Guimarães


Para mim, de todas as cidades visitadas, ao longo de Portugal, Óbidos foi a minha preferida para conhecer. A cidade vive no interior das muralhas do Castelo da época medieval. Logo na entrada, somos recebidos com música, o que nos remete à época realmente medieval, alguns séculos atrás. Podemos percorrer as longas e interessantes muralhas, além de visitar as lojas (incluindo a livraria) e os excelentes restaurantes locais. A vista é maravilhosa e podemos realmente nos sentir parte da História.


A cidade de Fátima é um verdadeiro espaço para agradecer por uma viagem tão abençoada e para se encantar com a devoção por Nossa Senhora. Não há ostentação ou luxo, muito pelo contrário. Todo o Santuário reflete muito bem a simplicidade e a fé de Nossa Senhora. Vale a pena visitar tanto o Santuário como a Casa dos Três Pastorinhos e os locais de aparição do Anjo.

A cidade de Guimarães está localizada a 20 km de Braga e é o verdadeiro berço de nascimento de Portugal. Aqui podemos visitar o Castelo de Guimarães, que possui excelentes ruínas prontas para exploração e uma ótima exposição. Além disso, podemos visitar o Paço dos Duques de Bragança, que é um local repleto de história, de mobília da época e de algumas exposições.

O ponto alto, literalmente, da viagem é o Santuário da Penha, onde podemos chegar de teleférico (uma viagem cheia de emoção e de altura) e apreciar uma excelente vista, uma igreja com arquitetura sóbria externamente e muito bonita em seu interior. É um excelente lugar para desfrutar de uma vista panorâmica e registrar em uma foto incrível.

Se você está querendo atravessar o Atlântico e conhecer algum país novo e incrível, você PRECISA conhecer Portugal e, para isso, precisa dedicar alguns dias de atenção exclusiva para esse país cheio de história, que faz parte da nossa história e que é cheio de cidades com pontos turísticos incríveis e que contam um pouquinho da construção do país. Com toda certeza, você vai amar Portugal.

IMPORTANTE SABER: Se você quer viajar para Portugal, fica a dica de andar sempre com um mapa e de comprar um livrinho turístico sobre o país antes, pois assim você pode conhecer antes os Pontos Turísticos e planejar melhor a sua viagem. Além disso, você precisa estar disposto a aproveitar os deliciosos pratos locais, que vão te fazer suspirar e se deliciar.

Até a próxima viagem! 💛